sexta-feira, 6 de maio de 2011

Porque perco a paz!...


Olhos aventureiros verdes cor da esperança
Quando me fitas, quanta felicidade me traz...
Cabelos loiros cor d’ouro com duas tranças,
Fazem-me perder a Paz...

Teus braços que perfeição!
Quando me abraças quanto calor me faz...
Teus lábios me beijando ou não,
Fazem-me perder a Paz...

Teu corpo esbelto encostado ao meu
Que pensamento gostoso me traz!
Meus olhos longe dos olhos teus,
Fazem-me perder a Paz...

Tuas mãos que coisa sublime!
Quando me apertas, minha tristeza zás-trás,
Certas palavras que sutilmente me exprimes,
Fazem-me perder a Paz...

Mas que Paz é esta minha
Que se perde por qualquer motivo e sem nenhuma explicação?
Talvez ela saiba que tu és a bela loirinha,
Que não pode pertencer ao meu coração!

Moacir Silva Papacosta
Publicado no Recanto das Letras em 27/06/2009
Código do texto: T1670227

2 comentários:

Manuel Luis disse...

Cinco quadras vinte versos suficientes para fazer funcionar os meus 5 sentidos.
Também sinto a saudade mas este sentimento vem por acréscimo.
Bj. Moça!

MOACIR S PAPACOSTA disse...

Carmem, essa mulher de olhos verdes embelezou o poema. Eita olhos lindos! Parabéns, poetisa!

Postar um comentário