sábado, 26 de março de 2011

A chuva!...

Lá fora cai a chuva,
não a mansa que tanto gostamos
e apreciamos,
mas uma pesada.
Mas mesmo assim,
ela apenas serve de desculpa,
para que você se aninhe
juntinho de mim.
Sinto seu coraçãozinho
se acelerar,
se amedronta com os trovões
que rugem lá fora.
Mas se aquiete
minha doce pequena,
porque em meu peito
estás protegida,
deles.
Mas não está
do amor
que tenho por ti.
Venha, se rescoste em mim
minha doce neguinha.

(Carlos Almo, 26-03 19:23)

5 comentários:

Ailime disse...

Lindo poema.
A chuva que apazigua e nos faz sentir assim aconhchegados como diz o poema.
Beijinhos.
Ailime

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

manuel marques disse...

"Chuva no lago
cada gota
um lago novo.

Beijo.

Mariana disse...

Poema fantástico, cai bem num dia de chuva como este.

Theo Ferraz disse...

Estupendo !!!

Postar um comentário